Todo apoio a Greve dos trabalhadores da Educação do Piauí!

Greve educação Piauí RECC FOB Federação das Organizações Sindicalistas Revolucionárias do Brasil - Rede Mídia Classista RMC.png

 

Trabalhadores da educação pública do Estado do Piauí entraram em greve depois da quebra de acordo por parte do Governador do Piauí, Wellington Dias (PT). Depois de um acordo entre os trabalhadores da educação e representantes do Estado, que cederam aumento de 6,81% para os professores e 3,95% para os demais servidores da educação, o governador do Piauí, junto com sua base na Assembleia Legislativa, de forma covarde, determinou um projeto de lei que o reajuste para os servidores não passe de 2,95%, quebrando a decisão feita com os trabalhadores da educação do Estado do Piauí.

Na manhã do dia 21, trabalhadores da educação manifestaram contra e aprovação do novo projeto de lei que diminui os seus salários, e foram recebidos com a repressão da polícia militar do Piauí, que se encontrava na Assembleia Legislativa, deixando vários professores feridos, sendo que uma professora teve o fêmur fraturado.

 PRECARIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO PÚBLICA NO PIAUÍ

A greve dos trabalhadores da educação pública do Piauí está dentro de um contexto de precarização de trabalho, tomando como base o caso de atrasos do pagamentos dos professores substitutos que no ano de 2018,  que passaram  até mais de dois meses sem receber, além de ganhar um salário abaixo do piso nacional dos professores. As escolas piauienses também sofrem com falta de docentes. O ultimo concurso para professores efetivos do estado foi feito no ano de 2014, e até o ano de 2018 nem todos os professores que passaram no concurso foram convocados, correndo risco de o concurso expirar.

ELEIÇÃO É ILUSÃO! CONSTRUIR A GREVE GERAL!

Mais um período de eleição se aproxima, e com ele vários candidatos, com as mesmas propostas vagas: “vamos melhorar a educação, saúde, segurança!” – mas já sabemos que os políticos não governam para melhoria da vida dos trabalhadores; eles servem os interesses dos ricos. Não podemos colocar nossas esperanças de mudanças na farsa eleitoral; o poder de mudança não está nas urnas, mas sim em nós, trabalhadores e trabalhadoras que se organizam e lutam. Diante disso, é necessário a unidade com outras categorias, para construção de uma Greve Geral ofensiva para barrar todos os ataques e conseguir nossos direitos.

CONSTRUIR COMITÊ DE AUTODEFESA DA CLASSE TRABALHADORA!

PARA BARRAR O AJUSTE FISCAL, CONSTRUIR A GREVE GERAL!

NÃO VOTE, CONSTRUA O PODER POPULAR!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *