Retomada de Guapo’y (MS) é atacada pela Polícia Militar

[CP-FOB – DOURADOS – MS/ COMITÊ DE SOLIDARIEDADE AOS GUARANI-KAIOWÁ]

No dia 26 de agosto, a Fazenda Santa Maria foi retomada pelos Guarani e Kaiowá em mais um corajoso levante do povo, com o intuito de reconstruir o grande território que conforma a terra tradicional Guapo’y, na região de Caarapó, MS. A Polícia Militar respondeu agindo como segurança privada da burguesia do agronegócio, e sem mandado judicial, fez recuar a retomada através de sua brutalidade repressiva, característica das chacinas que produz nas periferias do campo e cidade. Após o ocorrido, o Estado genocida por meio das forças policiais, agindo em conjunto aos latifundiários do agronegócio, atacaram a retomada com rasantes de helicópteros, caminhonetes e tiros, desvelando a face brutal da simbiose entre Estado e latifúndio, que opera para matar pessoas, terra, diferentes seres e modos de vida.

Sequencialmente, no dia 27 de agosto a violência não cessa, e os batalhões de choque avançam seus ataques contra a área do tekoha que está (re)ocupado desde o ano de 2016, território sob posse garantida aos Kaiowa e Guarani através da Suspensão de Segurança proveniente do STF. O helicóptero utilizado durante os ataques, carregava ninguém menos do que os algozes do povo Waldir Ribeiro Acosta, comandante-geral da Polícia Militar do MS, e Antonio Carlos Videira, secretário do Estado de Justiça e Segurança Pública (SEJUSP).

guapoy

Em meio a este processo, Ambrósio Alcebíades, indígena Guarani e Kaiowá de 70 anos de idade, caiu preso, e está na penitenciária do município de Caarapó. É acusado de cárcere privado, roubo, posse de armas e resistência à prisão. Seu encarceramento revela o contexto catastrófico da criminalização dos povos indígenas no estado do Mato Grosso do Sul. Em Dourados, há uma ala específica na Prisão Estadual para indígenas, o que chamam de “buraco”, ou andar de baixo, em uma prisão com 226% de superlotação.

A fazenda Santa Maria é propriedade de famílias quatrocentistas da região, os “Penteado”, remontando às práticas genocidas do colonialismo e da colonialidade que se mantêm ainda nestes dias. A empresa da família possuí capital social de R$ 20.100.000,00, somando-se á uma outra empresa de Agropecuária, e um hospital psiquiátrico em São Paulo, mantendo vivo seu histórico escravagista ainda hoje através do terrorismo de Estado.

Os Guarani e Kaiowá referem-se às suas terras como Tekoha, o que pode ser traduzido como “lugar onde se é”. Guapo’y traz a memória e a ação de resistência acendida pelas chamas de 2016, quando ocorreu na mesma região o Massacre de Caarapó. A justa rebeldia Guarani e Kaiowá na época levou à recuperação do Tekoha, após o assassinato de Clodiodi Aquileu de Souza pelas mãos do agrobanditismo. Ainda em abril deste ano, como divulgado pelo Comitê de Propaganda da RECC/FOB de Dourados, Guapo’y enfrentou uma ordem de despejo, que resultou em grande vitória dos Kaiowá e Guarani através de sua organização autônoma de base e das barricadas levantadas no território.

Ressaltamos, por fim, que o guerreiro Guarani e Kaiowa Ambrósio Alcebíades foi criminalizado pelas mãos do Estado brasileiro por lutar e está encarcerado. Repudiamos a criminalização da justa resistência e repudiamos a violência do Estado. Em memória de Alexandre Claro e Cesário Araru, ex-presos políticos Guarani e Kaiowá que enfrentaram a prisão e a tortura em 2017, e hoje estão livres em suas terras graças à força da mobilização popular: O companheiro Ambrósio segue em luta! Os Kaiowa e Guarani seguem em luta!

Território, Justiça e liberdade: fora ruralistas do campo e da cidade!
O sangue derramado não será negociado!
As terras roubadas serão retomadas!
Viva os/as que lutam!
Viva a resistência e justa rebeldia dos Kaiowa e Guarani!
Pela libertação de Ambrósio Alcebíades!

Vídeos feitos pelos indígenas Guarani e Kaiowáno momento da repressão policial:

Vídeo 1: Dia 26/08, helicóptero ataca o avanço da retomada Guapo’y –
https://www.youtube.com/watch?v=TsN1ZjUXs7E

Vídeo 2: Dia 27/08, batalhão de choque e helicóptero reprimem a área já ocupada, desde 2016, pela retomada Guapo’y –
https://www.youtube.com/watch?v=R7JvmE_srw

 

signal-2018-08-31-11200

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *