Sindicato Geral Autônomo do DF realiza ato de lançamento e dá mais um passo na auto-organização da classe trabalhadora

No dia 27 de março de 2019 realizou-se no Distrito Federal o Ato de Lançamento do Sindicato Geral Autônomo do Distrito Federal e Entorno (SIGA-DF). O ato reuniu dezenas de camaradas, trabalhadoras/es do setor público e privado, estudantes e desempregadas/os que se deslocaram dos mais diversos bairros, locais de trabalho e estudo para poder participar desse momento histórico para os movimentos autônomos e combativos da capital federal.

MEMÓRIA E LUTA

O Ato de Lançamento começou desde a tarde com o trabalho prévio das companheiras e companheiros que organizaram, com muita dedicação, o local com as simbologias de luta e os instrumentos técnicos de som e vídeo. A programação do Lançamento iniciou com um recorte do filme: “Calabouço: um tiro no coração do Brasil” onde foram apresentadas memórias do movimento estudantil que combateu a Ditadura Empresarial-Militar brasileira, bem como a memória do estudante Edson Luís de Lima Souto, cuja data de assassinato pela polícia em 28 de Março de 1968 marca até hoje o Dia Nacional de Luta dos Estudantes e a Semana Nacional Classista e Combativa (SNCC). O núcleo estudantil do SIGA-DF distribuiu no Ato de Lançamento um panfleto em memória à Edson Luís e contra o atual avanço do militarismo no Brasil.

MESA DE ABERTURA

Após o filme foi formada a mesa para seguir com a programação. Um camarada abriu as falas apresentando a estratégia e o programa de reconstrução do sindicalismo revolucionário no Brasil por meio da Federação das Organizações Sindicalistas Revolucionárias do Brasil (FOB), as mudanças importantes decorrentes do II ENOPES e suas implicações a nível local, nacional e internacional. O camarada apresentou também alguns exemplos da expansão nacional e por ramos de trabalho desenvolvida e coordenada pela FOB em cidades do interior, nos setores operário, comerciário, terceirizado, indígena, saúde, comunitário, dentre outros. Por fim, apresentou o programa e estatuto de SIGA, princípios, autofinanciamento, formas de filiação, organização e ação. Cabe ressaltar a importância da atuação territorial autônoma através dos Comitês Locais do SIGA, bem como da possibilidade de formação de núcleos sindicais, estudantil e do movimento popular. Muitas destas informações podem ser lidas com mais detalhes no Estatuto do SIGA.

A fala seguinte foi de uma camarada professora desempregada que apresentou a história mais recente, porém intensa, de atuação sindicalista revolucionária no ramo das/os trabalhadoras/es da educação. Retomou elementos da história de atuação com a criação da Oposição de Resistência Classista (ORC), tanto a nível nacional quanto na realidade das escolas do DF, apresentando as experiências de participação em greves, piquetes, assembleias, manifestações, congressos, dentre outros. Em todos os espaços de luta a ORC combateu sempre que necessário a burocracia sindical, o corporativismo e o peleguismo da diretoria do SINPRO e da CUT, bem como buscou construir alternativas de ação e auto-organização tal como os comitês de mobilização, protestos, trabalhos de base e assembleias independentes. O núcleo sindical de trabalhadoras/es das educação do SIGA-DF é fruto dessa militância, e hoje está absolutamente aberto e preparado para as novas experiências e lutas que virão.

Por fim, dois camaradas estudantes dividiram o discurso seguinte falando sobre a memória daqueles/as que morreram lutando contra a ditadura brasileira e contra o projeto educacional da burguesia e do imperialismo. Esse projeto hoje se expressa através da militarização e privatização da educação no DF e no Brasil (Escola sem Partido, BNCC, etc). Além disso, para além dos muros das escolas e universidades, os estudantes pobres, negros ou periféricos são uma fração da classe trabalhadora extremamente atingida pelo desemprego, violência, superexploração e depressão. Os camaradas também apresentaram brevemente a experiência de mais de uma década da Oposição Combativa, Classista e Independente ao DCE da UnB (Oposição CCI / RECC) atuando em ocupações de reitorias, protestos, greves, assembleias, em diversas gestões de Centros Acadêmicos (chegando a construir atuação organizada em mais de 10 cursos da UnB). Por fim, denunciaram a política burocrática e eleitoreira da UNE e da UBES e convocaram os estudantes combativos a construírem uma nova realidade para o movimento estudantil no DF através da Autonomia, Ação Direta, Democracia de Base bem como a união com os movimentos populares e sindicais, nacionais e internacionais.

PARA AS BARRICADAS!

Após abrir para fala do plenário a mesa convocou os presentes para uma mística. Os presentes receberam lenços vermelhos e pretos e entoaram todos/as juntos/as o hino antifascista e sindicalista revolucionário “A Las Barricadas” em uma versão em português. O Ato de Lançamento encerrou com um humilde coquetel com salgados e refrigerantes e com uma conversa informal entre todos e todas. Alguns camaradas decidiram-se já naquela noite pela filiação ao SIGA. O certo é que todos e todas saíram com as energias renovadas; com a confiança na união, no projeto do SIGA e da FOB e na luta coletiva do povo; com a certeza de que não só é possível como também necessário avançar e construir um grande movimento popular autônomo no DF, no Brasil e no mundo. Este foi só o começo, um dos muitos passos da caminhada, o amanhã vai ser maior.

SIGA NA LUTA!

FILIE-SE AO SINDICALISMO REVOLUCIONÁRIO!

 

 


MAIS FOTOS DO ATO DE LANÇAMENTO: 

0 thoughts on “Sindicato Geral Autônomo do DF realiza ato de lançamento e dá mais um passo na auto-organização da classe trabalhadora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *