[FOB-DF] Comitês locais do SIGA realizam ações em bairros nos Dias Nacionais Contra a Reforma da Previdência

Rede de Mídia Classista – Distrito Federal (RMC / FOB)

Panfletagem em Ceilândia.

Nos dias 05 e 06 de abril a Federação das Organizações Sindicalistas Revolucionárias do Brasil (FOB) convocou em todo o país ações de agitação, propaganda, debates e mobilizações contra a Reforma da Previdência do governo Bolsonaro (PSL) e em defesa de uma grande greve geral, combativa e pela base.

O Sindicato Geral Autônomo (SIGA-DF), recém fundado na capital federal, mobilizou as suas bases organizadas nos Comitês Locais para a adesão ao dia nacional de luta. Foram realizadas ações no Gama, Planaltina, Ceilândia e Plano Piloto, onde camaradas filiadas/os e apoiadoras/es se juntaram para colagem de cartazes no Gama e panfletagem na Feira da Ceilândia, Rodoviária do Plano Piloto, Rodoviária do Entorno e Rodoviária de Planaltina. As ações tiveram ótima recepção das trabalhadoras e trabalhadores que paravam para conversa e expressar sua indignação contra a reforma da previdência, o governo e os ricos, bem como entender melhor a proposta do sindicalismo revolucionário.

Panfletagem em Planaltina.

Os Dias Nacionais de Luta foram também um contraponto à paralisia e covardia das centrais sindicais socialdemocratas e conservadoras (CUT, CTB, FS, NCST, etc.) falsos “representantes dos trabalhadores”. Para a burocracia sindical a greve geral só pode ser feita por decreto, definindo um dia de dentro dos gabinetes, de cima para baixo. Dentro dessa concepção os sindicatos, associações e movimentos sociais de base devem ficar “a espera de um milagre”, passivos, esperando o momento de obedecer ordens. É assim que os burocratas sindicais do DF agem e professam, acumulando uma vergonhosa lista de derrotas, incompetência e autoritarismo sindical. Para o sindicalismo revolucionário é totalmente o oposto: a greve geral deve ser construída pelas bases, em cada bairro e local de trabalho, confluindo as greves e lutas particulares e não negando-as, expressando a consciência, a revolta e a combatividade da classe trabalhadora para enfrentar e derrotar os inimigos do povo. O SIGA-DF e a FOB não  querem uma “reforma da previdência melhorada”, não querem promessas para as próximas eleições, querem a derrota completa da Reforma da Previdência e de todos os ataques ao povo trabalhador e explorado.

Os dias nacionais de luta no Distrito Federal foram mais um momento importante na organização e luta desenvolvida pelas companheiras e companheiros do SIGA e da FOB. Os comitês locais do sindicalismo revolucionário vão passo a passo tomando vida, unindo as forças dos bairros, dos vários ramos de trabalho e periferias segregadas da capital federal, construindo com o pé no chão os territórios em resistência.

CONSTRUIR A GREVE GERAL CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA!

RECONSTRUIR O SINDICALISMO REVOLUCIONÁRIO EM CADA BAIRRO, LOCAL DE TRABALHO E ESTUDO!


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *