Comitês locais do SIGA-DF organizam ações contra a militarização das escolas em Planaltina, Ceilândia, Gama, Brazlândia e Plano

Os dias nacionais de ação contra a militarização das escolas, 25 e 26 de outubro, convocados pela FOB, tiveram diversas atividades realizadas pelos comitês locais do Sindicato Geral Autônomo do Distrito Federal e Entorno (SIGA-DF). Foram realizadas distribuição de milhares de panfletos (baixe aqui), colagem de cartazes (baixe aqui) e adesivos e conversas com trabalhadoras/es e estudantes. Em todos os locais a luta contra a militarização das escolas foi recebida com grande apoio e entusiasmo, principalmente por parte dos estudantes.

  • CEILÂNDIA

No dia 25/10, em Ceilândia, bairro em que iniciou o projeto autoritário de militarização no DF, o comitê local do SIGA organizou uma panfletagem logo início do turno matutino no Centro de Ensino Médio 03 e na entrada do turno vespertino no Centro de Ensino Fundamental 25.

No dia 26/10, foi organizada uma agitação, na rua principal do Setor O, contra a militarização e as políticas anti-povo do governo Ibaneis e Bolsonaro. Durante a agitação o comitê local dialogou com os moradores, fez falas em um carro de som e realizou panfletagem. À noite os camaradas organizaram uma colagem de cartazes pela cidade.

Todas e todos do comitê local de Ceilândia se preparam para a atividade de apresentação do SIGA na cidade, que ocorrerá no próximo dia 20 de novembro. Participe, venha construir o sindicalismo revolucionário!

  • GAMA

No dia 25/10, no Gama, o comitê local do SIGA organizou panfletagem no Centro de Ensino Médio 02 e no Centro Educacional 08. Em ambas as escolas foram distribuídos panfletos adesivos para estudantes e trabalhadores da educação, bem como colaram cartazes nas salas dos professores. Foi confeccionada uma faixa para ajudar na agitação.

No dia 26/10, pela manhã, os camaradas do comitê local organizaram uma colagem de cartazes e de adesivos pelo área central do Gama, setor comercial e rodoviária.

Além disso, na semana seguinte à campanha, o comitê local do SIGA desempenhou um papel muito importante na luta contra a militarização do Centro de Ensino Fundamental 05. Leia o relato do processo autoritário e manipulado para imposição da militarização no CEF 05 do Gama CLICANDO AQUI.

  • PLANO PILOTO

No dia 25/10, no plano piloto, o comitê local do SIGA organizou uma panfletagem no Centro de Ensino Média da Asa Norte e também uma colagem da cartazes pela avenida L2 norte. Os estudantes do CEAN demonstraram total repúdio ao projeto de militarização, dois terceirizados estavam a favor do projeto momento em que se realizou um diálogo sobre a questão.

O comitê local, junto ao núcleo estudantil do SIGA, realizaram também panfletagem e colagem de cartazes na Universidade de Brasília, buscando aliar a luta dos estudantes universitários com os desafios da educação pública do Distrito Federal como um todo.

Além disso, o núcleo estudantil do SIGA se prepara e convida a todas e todos para a roda de conversa “As lutas do passado e os novos rumos da Resistência”, dia 07/11 na UnB (SAIBA MAIS AQUI!). Participe! Venha construir um movimento estudantil classista e combativo!

  • PLANALTINA E BRAZLÂNDIA

Nas cidades de Planaltina e Brazlândia também foram realizadas propagandas em diversas escolas e salas de professores. Em Planaltina, o comitê local do SIGA realizou panfletagem no Centro de Ensino Médio 01, Centrão, e colagem de cartazes pelas redondezas das escolas.

Além disso, em Brazlândia, os camaradas se preparam para a atividade de apresentação do SIGA na cidade, que ocorrerá no próximo dia 14 de dezembro. Participe, venha construir o sindicalismo revolucionário!


Mais um momento importante da luta e organização combativa no DF foi construído pelas bases do sindicalismo revolucionário. O projeto autoritário e elitista de Ibaneis e Bolsonaro foi denunciado de forma combativa em diversos bairros e comunidades da capital federal. Cada vez mais os comitês locais e núcleos do Sindicato Geral Autônomo (SIGA) vão tomando corpo e força, através da ação e da luta popular.

Saudamos também as novas filiações ao SIGA! Alguns camaradas, trabalhadores e estudantes, tem compreendido a importância da auto-organização da classe trabalhadora, da necessidade de não sustentar nem legitimar mais as entidades burocráticas e pelegas. Através dessa atitude corajosa o SIGA vai engrossando as fileiras do sindicalismo revolucionário: sem liberados sindicais, sem imposto sindical, sem partidos eleitoreiros, sem falsos profetas. No nosso sindicato o poder emana da base, dos trabalhadores e trabalhadoras. Não temos rabo preso com ninguém. É esse poder popular o único que há de mudar o mundo.

  • MAIS ALGUMAS FOTOS DAS COLAGENS DE CARTAZES:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *